pt Portuguese
zh-CN Chinese (Simplified)en Englishfr Frenchde Germanit Italianpt Portuguesees Spanish

A ousada edificação de um Cristo Redentor com 42 metros se torna realidade no ponto mais alto do Morro das Antenas. Desde segunda-feira, 15, a empresa Parecy Construções iniciou a ancoragem e regularização da rocha que irá sustentar o maior monumento do Brasil em honra a Jesus.
O trabalho é executado por oito profissionais. A fundação da obra deve ser finalizada até o dia 25 de agosto. Após, será feita a base com 28 pilares e a edificação da estátua. O Cristo será esculpido pelo uruguaio Pedro Rodriguez Saenz.
A proposta de construção da estátua de Cristo surgiu em meio à campanha eleitoral de 2016. Em março deste ano, a área no topo do morro, entre as linhas Lambari e Garibaldi, foi doada ao município.
O governo de Encantado auxiliou na obra com a construção das ruas e acesso à escultura. Não haverá recursos públicos investidos. Uma associação, chamada Amigos do Cristo, foi criada para captar recursos junto à pessoas físicas e jurídicas da região.
O monumento está orçado em R$ 600 mil. Ele deverá ter cerca de 1,4 mil toneladas e 35 metros de envergadura. O corpo do Cristo ficará sobre um pedestal de seis metros com base de 120 metros quadrados.
O intuito do projeto é transformar o local em polo turístico. A cerca de três quilômetros da obra do Cristo Redentor de Encantado está localizado a Lagoa da Garibaldi. Outra atração que fica a 30 quilômetros de distância é o maior viaduto férreo da América Latina: o V13, em Vespasiano Corrêa.

Trabalho voluntário

Artur Lopes de Souza, 63, é o supervisor da obra. Aposentado na construção civil, ele auxilia de forma voluntária pela crença em Cristo. “Vai ser um sonho ver essa estátua finalizada e de pé no topo do morro”, destaca.
Além da religiosidade, Souza acredita que o monumento resultará em divulgação do município e suas belezas naturais. “Uma obra desse porte vai trazer turistas e excursões religiosas para cá”, afirma. Com isso, ele prevê incremento para a economia local.
Na comunidade, a obra repercute de forma positiva. O aposentado Valdir Dalmoro, 66, é uma das pessoas que aguarda ansioso para ver o Cristo Redentor no mirante encantadense. Ele promete a doação de materiais à obra e defende o turismo regional.
“As pessoas olham para outros estados, mas se esquecem que aqui também temos muitas belezas”, percebe.

 

Jornal A Hora

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *